topo
Cidelândia 23 anos de emancipação! Conheça a nossa história!
08/11/2017 - 15h32 em Cidelândia

CIDELÂNDIA: Um pouco de história

Bandeira-de-Cidelandia-vertO município de Cidelândia foi criado em 10 de novembro de 1994 pela Lei Estadual N° 6.142, sancionada pelo governador José de Ribamar Fiquene, após os trâmites legais que antecederam a criação. Entre os trâmites, o plebiscito – resultado das inúmeras campanhas pró-emancipação. O plebiscito para a criação do município de Cidelândia aconteceu no dia 19 de junho do ano de 1994, e do total de 5.896 eleitores com direito a voto, 3.470 compareceram. Ficando assim o resultado final: 3.296 votaram a favor da criação; 116 contra; 32 brancos, e 26 nulos. O juiz Raimundo Moraes Bogéa foi quem presidiu a junta apuradora que constatou que votaram a favor da criação do município de Cidelândia metade mais um dos eleitores, conforme o estabelecido em lei.

ORIGEM

Cidelândia originou-se da extinta Companhia Industrial de Desenvolvimento da Amazônia (CIDA), subsidiária da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), que fazia a exploração de madeiras na região. O local onde a Companhia ergueu seu acampamento passou a ser chamado de Entroncamento da CIDA, e mais tarde, com o inicio da povoação, o batismo de Cidelândia (fusão: Cid + Lândia) pelos seus primeiros moradores, em particular, Júlio Josino e Josias Mendes.

Os pioneiros se instalaram a partir de 1969. Não existindo estrada, mas somente mata fechada, eles caminhavam a pé até a Rodovia Belém-Brasília (BR-010), o que era um grande desafio, devido ao relacionamento não muito amigável com os indígenas que habitavam a região. Nota: A povoação pelo homem branco da área que compreende o município de Cidelândia nasce com a expulsão e/ou com o extermínio de nossos irmãos indígenas. Com a construção da estrada, houve grande afluência de pessoas de outras regiões em busca de melhores dias. E o núcleo se expandiu tendo como principais atividades econômicas a cultura do arroz, a extração de madeiras e a pecuária extensiva. O crescimento populacional intensificou-se ainda mais com a implantação da Ferrovia Carajás.

Localizado na Pré-Amazônia Maranhense e integrante do Bioma Amazônia, o município está situado na Mesorregião do Oeste Maranhense e na Microrregião Tocantina, tem área geográfica de 1.464 km². Limites: ao Norte, com o Estado do Pará; a Leste, com os municípios de Açailândia e São Francisco do Brejão; a Oeste, com o Estado do Tocantins e com o município de Vila Nova dos Martírios, e ao Sul, com o município de Imperatriz.

Já, em relação à organização administrativa do Governo do Estado, o município compõe a Regional da Pré-Amazônia que integra 8 municípios, e no aspecto da jurisdição, o foro é o da Comarca de Açailândia, embora já tenha a sua criada, faltando apenas ser instalada. O ex-vereador Elivan Braz foi quem organizou a documentação que criou a Comarca de Cidelândia junto ao Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), e quem também solicitou ao então prefeito Zé Carlos a doação da área para a construção do Fórum. Nota: A área fica no bairro José Sampaio, e está reservada ao Tribunal para a construção do Fórum de Cidelândia. A equipe de engenharia do TJMA já esteve no local para receber a área. Quanto a alocação de recursos para a obra, segue cronograma do próprio Tribunal e articulação política local.

A sede do município está localizada às margens da Rodovia MA-125, aproximadamente a 28 km da BR-010/Belém-Brasília, tendo como cidades mais próximas, Vila Nova dos Martírios a 42 km; São Francisco do Brejão, 53; Açailândia, 53 e Imperatriz a 72 km. A distância da capital, São Luís, é de 612 km. A ferrovia Carajás percorre em média 42 km dentro do município, passando há 4 km do centro urbano. A sede municipal possui as seguintes coordenadas geográficas: -05º10’12” de Latitude Sul; -47º46’48 de Longitude Oeste de Greenwich; e 241 metros de Altitude.

pageNo que se refere ao aspecto populacional segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), no ano de 2010, Cidelândia contava com 13.681 habitantes (população rural e urbana), e no ano de 2017 aumentou para 14.539. Sendo que a maioria da população encontra-se na zona rural. Nota: Após o Censo, o IBGE atualiza, anualmente, o número de moradores dos municípios com base em dados fornecidos pelos cartórios. Podemos até ser mais que 14.539 habitantes! Mas como muitas crianças continuam nascendo fora do município, e são contadas pelo local onde nascem, esse total se torna evasivo. Só agora uma lei que permite aos pais optarem pelo local em que vivem constar na certidão de nascimento dos filhos, não sendo mais obrigatório o de nascimento, é o que poderá corrigir essa falha. E esse fator mais as evasões (não contagem de pessoas durante o Censo) contribuíram para o pequeno crescimento populacional do município, e implicam, diretamente, nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios, que são desproporcionais em relação ao real número de habitantes de Cidelândia.

Enquanto que econômico, o município se destaca com a pecuária, principalmente com a criação do gado e produção de leite, agricultura familiar (nas áreas de assentamento) e ainda no extrativismo sustentável na Reserva Extrativista do Ciriaco e em outras áreas. Na geração de empregos, figuram os órgãos públicos públicos e as empresas privadas, até mesmo as que prestam serviços temporários.

Fonte: acervo pessoal do senhor Dominguinhos, livreto distribuído pelo Dr. Sálvio Dino (1991), Lei Estadual N° 6.142, Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, Câmara Municipal de Cidelândia e IBGE.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!